O Test behind the Great Firewall of China, confirmou mais uma vez que nosso blog ESTÁ BLOQUEADO NA CHINA. A máquina repressiva impede o acesso em Pequim (confira); em Shangai (confira); e agora em Guangzhou (confira). Hong Kong é a exceção (confira). Enquanto Pequim não cobrar medidas coercitivas dos seus correligionários brasileiros ou da Teologia da Libertação, este blog continuará na linha católica anti-comunista, pelo bem do Brasil. MAIS

domingo, 29 de julho de 2007

Sim, trabalho escravo existe, mas na China vermelha


Maus tratos, ofensas verbais, horas extras excessivas, deduções ilegais, ausência de extintores de incêndio, banheiros imundos, iluminação inadequada, funcionários que não recebem pensão, nem licença de saúde, nem seguro-desemprego ou assistência médica proporcionada, chegando a casos de dois meses de trabalho sem nenhuma folga. Estas são algumas das conclusões de um inquérito-surpresa na China comunista, realizado pela Fair Labor Association em 39 fábricas das empresas Nike, Reebok e Adidas. O inquérito não incluiu os campos de concentração — fábricas do governo de Pequim onde o trabalho, este sim, é verdadeiramente escravo!
Tais características bem poderiam ser consideradas análogas às do trabalho escravo. Entretanto, como tudo isso acontece na China comunista, ninguém protesta: nem causa preocupação à “esquerda católica” tão preocupada com o “trabalho escravo” no agronegócio brasileiro. E o Brasil continua importando em quantidades colossais o fruto do trabalho desses pobres chineses!

Nenhum comentário:

Postar um comentário