O Test behind the Great Firewall of China, confirmou mais uma vez que nosso blog ESTÁ BLOQUEADO NA CHINA. A máquina repressiva impede o acesso em Pequim (confira); em Shangai (confira); e agora em Guangzhou (confira). Hong Kong é a exceção (confira). Enquanto Pequim não cobrar medidas coercitivas dos seus correligionários brasileiros ou da Teologia da Libertação, este blog continuará na linha católica anti-comunista, pelo bem do Brasil. MAIS

segunda-feira, 29 de dezembro de 2008

Repressão religiosa assanhou-se contra a festa de Natal


A doce festividade do Natal transcorreu na aflição para os cristãos chineses.

O sistema comunista, intrinsecamente ateu, hostilizou-os especialmente na Noite do Natalício de Menino Jesus, em numerosas províncias do imenso país.

Eles padeceram numa certa analogia com a Sagrada Família que não teve ninguém que a acolhesse em Belém, nem mesmo considerando o avançado estado de gestação de Nossa Senhora.

Nove mulheres cristãs foram arrestadas na província de Henan na noite tão cara à Igreja. Seu crime foi representar a cena da Natividade.

A polícia invadiu o local e as levou ao centro de detenção do condado de Yucheng.

Embora o subjetivismo protestante leve seus seguidores a entrar em fáceis composições relativistas com qualquer regime, o fanatismo anticristão marxista não faz distinções entre católicos e outros e os persegue em graus diversos.

De fato, também os protestantes estão sob a opressão de uma organização estatal, o Conselho Cristão da China, que funciona como a Igreja Patriótica “católica”, de má reputação, cismática e acumpliciada com o progressismo ocidental.

Os cristãos – incluindo neste termo muitos grupelhos sincretistas que misturam cristianismo e paganismo em doses muito díspares – somam cem milhões.

Os católicos fiéis, entretanto, seriam entre 8 e 14 milhões segundo a fonte.

Houve também prisões na Região Autônoma de Xinjiang, no noroeste do país, e na província oriental de Anhui nos dias 21 e 22 de dezembro. Nesses casos foram presos 10 estudantes. O material religioso foi seqüestrado.



Sei que o blog 'Pesadelo chinês' é reprimido na China, mas quero receber atualizações gratuitas, sem compromisso, no meu Email

segunda-feira, 15 de dezembro de 2008

Relatórios apontam uso sistemático da tortura na China


O Comitê contra a Tortura das Nações Unidas acusou a China comunista de empregar sistematicamente a tortura.

Pequim respondeu acusando os Comitê de “utilizar informação fabricada e falsa”. O método denigratório, fugindo do mérito do assunto, é de praxe na ditadura.

Na realidade, o relatório da ONU só dava pálida idéia da extensão dessa prática explorada pelo regime marxista.

Em abril, o ministério alemão das Relações Exteriores denunciara que a China viola "significativamente" os direitos humanos e os princípios básicos da democracia, noticiou “Der Spiegel”.

O relatório demonstrava que as autoridades chinesas censuram os meios de comunicação regularmente e “perante a crítica pública reagem com castigos draconianos”.

Além do mais, a Justiça chinesa processa os indiciados a portas fechadas e rara vez permite que sejam auxiliados por um advogado.

O documento alemão destaca o uso brutal da “tortura, da arbitrariedade policial e da falta de liberdade de opinião, religiosa, de assembléia ou de associação”.

O socialismo chinês continua, entretanto, violando acintosamente esses direitos básicos.


Sei que o blog 'Pesadelo chinês' é reprimido na China, mas quero receber atualizações gratuitas, sem compromisso, no meu Email