O Test behind the Great Firewall of China, confirmou mais uma vez que nosso blog ESTÁ BLOQUEADO NA CHINA. A máquina repressiva impede o acesso em Pequim (confira); em Shangai (confira); e agora em Guangzhou (confira). Hong Kong é a exceção (confira). Enquanto Pequim não cobrar medidas coercitivas dos seus correligionários brasileiros ou da Teologia da Libertação, este blog continuará na linha católica anti-comunista, pelo bem do Brasil. MAIS

domingo, 21 de dezembro de 2014

terça-feira, 9 de dezembro de 2014

Número de cristãos na China
supera o dos filiados ao Partido Comunista




O governo comunista da China está furioso contra os cristãos, escreveu Steven W. Mosher, da agência Aleteia.

Ele está derrubando igrejas, prendendo bispos e líderes “clandestinos” da Igreja Católica e sagrando ilicitamente bispos dóceis ao regime.

A causa mais dinâmica dessa explosão de ódio, intrínseca, aliás, ao comunismo, é o rápido crescimento do número dos cristãos, como vimos comentando longamente em nosso blog.

Hoje os cristãos seriam por volta de 100 milhões. Só os católicos perfazem cerca de 12 milhões. Muitos deles são novos convertidos que, ansiosos por cumprir a Grande Missão, estão evangelizando os seus concidadãos chineses, diz Steven.

terça-feira, 2 de dezembro de 2014

Y-20 nasce da espionagem e da contrafação,
mas com vontade de destruir

Prototipo de Y-20 numa pista na China. Poderá servir para múltiplos usos bélicos
Prototipo de Y-20 numa pista na China. Poderá ter múltiplos usos bélicos

A China encomendou um novo avião cargueiro para uso militar conhecido como Y-20. Ele é uma combinação de falsificações, segundo o jornal “Epoch Times”.

O jornal informa, porém que o regime socialista chinês comemora a contrafação como um grande marco inovador da tecnologia nacional.

Malgrado os lados criticáveis do engendro, ele é revelador das intenções expansionistas militares de Pequim. E neste sentido é preocupante.

O enorme avião poderá estender o alcance militar de Pequim até áreas de conflito hoje de difícil acesso.

A história do Y-20 começou com um engenheiro aeroespacial de nome de Dongfan “Greg” Chung, 75, de Orange County, EUA. Em setembro de 2011 foi condenado a 24 anos e cinco meses de prisão por espionar para o regime comunista.

Chung roubou mais de 250 mil documentos das empresas Boeing e Rockwell, os quais ele repassou à China.

terça-feira, 25 de novembro de 2014

Vigilância total da população se torna realidade na China

Luis Dufaur



O regime chinês está espiando cada cidadão chinês, incluindo os principais líderes do Partido Comunista Chinês (PCC), segundo um artigo do website chinês Creaders.net, sediado em Vancouver, que expõe o programa de espionagem nacional. A reportagem é de Joshua Philipp e foi publicada pelo Epoch Times.

O programa secreto, dirigido pelo Ministério da Segurança Pública do regime chinês, é chamado de “Megainteligência”.

A Rádio Som da Esperança (SOH) cita Wang Lijun, o ex-chefe da Secretaria de Segurança Pública de Chongqing, China, dizendo que o programa de vigilância leva 12 minutos para verificar todos os 1,3 bilhão de chineses, 4 minutos para verificar cada pessoa na lista negra da China, e 3,5 minutos para verificar a carteira de motorista de cada pessoa na China.

O programa está em operação há cerca de 10 anos e o regime chinês tem mantido sigilo total, segundo a SOH. E afirma: “Os especialistas acreditam que este projeto cobre todo o país.”

terça-feira, 18 de novembro de 2014

Socialismo faz seu velho provérbio: “as más companhias são como um mercado de peixe; acabamos por nos acostumar ao mau cheiro”

A China só cumprirá compromisso contra emissões se lhe aprouver.. Mas cobrará o que Obama assinou molemente.
A China só cumprirá compromisso contra emissões se lhe aprouver.
Mas cobrará o que Obama assinou molemente.
Luis Dufaur


A reunião do Foro de Cooperação Econômica Ásia-Pacífico (APEC), realizada na China no início de novembro (2014), teve um efeito colateral inesperado, pelo menos para quem não costuma acompanhar os fatos chineses.

Embora acabasse de assinar bombasticamente com os EUA um compromisso para reduzir a emissão de gases estufa, a China deixou claro que só cumprirá aquilo que lhe aprouver.

Mas, ao mesmo tempo exige, com a colaboração de líderes como Dilma Rousseff, que os EUA honrem o o compromisso. O que possivelmente o moleirão presidente Obama, signatário do documento, não deixará de fazer.

Para a reunião da APEC, a China mostrou como entende os acordos ambientalistas. Ela adotou medidas drásticas e indispensáveis durante a reunião para fingir que se interessa pelo meio ambiente mais do que pela hegemonia do socialismo.

Em Tangshan, imenso centro do aço mundial localizado a 170 km de Pequim, as fábricas reduziram seu ritmo, os veículos entraram em rodízio, e foram aplicadas excepcionais medidas antipoluição: fechamento de escolas, redução de atendimentos em hospitais, proibição das cremações nos cemitérios, noticiou o jornal parisiense “Le Monde”.

terça-feira, 11 de novembro de 2014

Mais um “milagre” da Reforma Agrária: degradou 40% das terras chinesas

Num grande vaso antigo vemos reproduzida
intensa atividade agropecuária,
charretes carregadas de produtos da terra,
grande atividade comercial e fluvial
numa natureza poeticamente preservada.
Luis Dufaur


Mais de 40% das terras aráveis chinesas se encontram degradadas após décadas de exploração socialista, deplorou a agência oficial de imprensa China Nova, citada pela agência Reuters.

O povo chinês é rico em qualidades dos mais variados tipos, as quais podem ser apreciadas em incontáveis e admiráveis obras de arte.

Nas refinadas cerâmicas, nas delicadas pinturas, nos maravilhosos marfins, podemos contemplar, descrita em seus menores detalhes, a vida agrícola chinesa de séculos passados.

Toda ela está impregnada de espírito familiar e senhoril.

Nessas imagens, vemos refletida uma arte realista e requintada, uma vida no campo farta, poética, de uma riqueza surpreendente.

E além de preservar como que por instinto uma natureza única, vemos o trabalhador chinês bem alimentado, contente, e paradoxalmente contemplativo e pletórico de bens.
Que espécie de feitiço caiu sobre essa nação a ponto de arrasar a própria terra?

A terra negra e fértil da província de Heilongjiang, no norte da China, diminui em extensão, diz a agência do governo.

As terras agrícolas do sul estão entregues à acidificação, acrescenta a agência, que cita por sua vez estatísticas do Ministério da Agricultura.

terça-feira, 4 de novembro de 2014

Destruição de igrejas: medo oficial da ira popular

Governo socialista ordenou limpar de cruzeiros o 'horizonte visual'
Governo socialista ordenou
'limpar' de cruzeiros o 'horizonte visual'
Luis Dufaur


No dia 15 de setembro, simultaneamente em três províncias chinesas distintas, duas igrejas católicas foram demolidas e uma terceira teve a cruz arrancada de sua torre. O pretexto foi um plano de desenvolvimento comercial, segundo esclareceu a agência “AsiaNews”.

Em Jinxi, província de Hunan, o pároco tentou impedir o crime sacrílego, mas foi amarrado e levado preso. Por sua vez, na igreja de Nossa Senhora de Jindezhen, na província de Jiangxi, o pároco foi ludibriado e o guarda noturno raptado, só sendo liberado quando a igreja estava demolida.

Com efeito, agentes de Assuntos Religiosos do governo comunista convocaram o Pe. Dong Guohua, pároco de Jindezhen, para uma ceia onde seria discutida a reestruturação da paróquia de Nossa Senhora.

Como o local do encontro ficava muito longe, após longas conversações os agentes ofereceram ao pároco um quarto para dormir. Qual não foi a sua surpresa quando, acordado à meia-noite por uma chamada telefônica, foi informado de que a igreja não mais existia!

Em relato divulgado pela Internet, o guardião da igreja contou que, enquanto vigiava a entrada da mesma, foi sequestrado por desconhecidos. Após ameaçá-lo, eles o prenderam num carro e o abandonaram na madrugada do dia seguinte longe da igreja.

terça-feira, 28 de outubro de 2014

China exporta cada vez mais instrumentos de tortura

Algemas para os pés com pesos fabricadas na China em 2009
Algemas para os pés com pesos fabricadas na China em 2009
Luis Dufaur

A China fabrica e exporta cada vez mais equipamentos para tortura, utilizáveis por esquadrões especiais de polícia, incluindo material concebido para a repressão de populares e a violação de direitos humanos, noticiou o jornal “El País”, de Madri.

Segundo a organização não governamental Anistia Internacional e a Fundação Ômega, da Espanha, há hoje mais do que nunca, empresas chinesas fabricando esses instrumentos de terror e de dor.

Muitas dessas empresas são de propriedade estatal e oferecem “ferramentas de tortura”, como cassetetes com pregos ou algemas com pesos.

A China não tem, e pelo jeito não quer ter, controles que regulem ou supervisem o uso e a exportação desse material perverso.

O relatório de ditas instituições – O comércio chinês de instrumentos de tortura e repressão – identificou 134 empresas produtoras (48 delas também são exportadoras), enquanto uma década atrás só existiam 28.

terça-feira, 21 de outubro de 2014

Chineses renunciam cada vez mais ao Partido Comunista

A charge tenta apresentar a felicidade dos chineses
que renunciam ao Partido Comunista Chinês
em contraste com o edifício decrépito e em ruínas do regime
Luis Dufaur

Um número cada vez maior de chineses está fazendo questão de publicar sua renúncia ao Partido Comunista Chinês (PCC) e a suas organizações afiliadas, noticiou o jornal online Epoch Times.

Está em curso uma campanha de renúncia ao Partido que levou mais de 176 milhões de chineses a abandonarem o comunismo desde 2004. Até certo tempo atrás, muitos cidadãos usavam pseudônimos na hora de renunciar, temendo compreensíveis retaliações do Partido Comunista. Porém, esse medo está se evaporando.

Voluntários do ‘Centro Global de Serviços de Renúncia ao Partido’ receberam muitas ligações de ex-membros do PC pedindo que fosse anunciada publicamente sua renúncia e usando nessa ocasião seus nomes verdadeiros.
“Este é um sinal de coragem do povo chinês”, disse um voluntário do centro. “De fato, fazê-lo requer uma tremenda coragem, especialmente para aqueles que vivem na China.”

terça-feira, 14 de outubro de 2014

Abutres e abutres: o chinês sai ganhando com a simpatia do argentino

E se o abutre estiver onde diz não estar?
Por vezes, o esquerdismo demagógico parece esquecer o raciocínio e cai em flagrantes ridículos.

É o caso, por exemplo, do slogan “Pátria ou abutres”, que o governo populista argentino mandou seus seguidores cantarem.

Num comício encomendado pelo governo de Cristina Kirchner e definido como “antioligárquico e anti-imperialista”, os diaristas do partido cantaram contra os “fundos abutres”.

Esta é a forma deselegante com que o governo argentino se refere aos fundos de investimentos que não aceitaram as reestruturações leoninas dos títulos da dívida pública.

Esses fundos obtiveram de tribunais internacionais o pagamento de seus títulos no valor integral de 2001, quando a Argentina deu o calote. O julgamento da Justiça desatou a cólera dos dirigentes socialo-populistas.

Os organizadores do comício contra os “abutres” também leram mensagem em que Lula declara “solidariedade” a seus amigos no conflito com os fundos, noticiou o “O Estado de S. Paulo” em 13-8-2014.

Babéis vazias na China

Kangbashi: não e filme fiction mas é mais uma cidade fantasma da China
Kangbashi: não e filme fiction mas é mais uma cidade fantasma da China

É uma cidade fantasma, mas não é um cenário de novela. Está despovoada, mas não é uma cidade como as da Antiguidade.

Kangbashi, na Mongólia Interior, norte da China, pode dar moradia a um milhão de habitantes, más nela só há 50.000 pessoas, noticiou “La Nación” de Buenos Aires.

É um cidade brilhante pela sua modernidade. Milagre da planificação socialista, ela possui largas avenidas, enormes prédios, parques impecáveis e gigantescos shoppings, além de um museu e uma pista de corrida de carros ‘novinha em folha’.

Só que não tem gente.

Kangbashi está no meio das estepes da Mongólia, a 23 km de Dongsheng, capital de Ordos, uma das 12 zonas da região.

terça-feira, 7 de outubro de 2014

Pequim quer uma “teologia da libertação”
para desviar o cristianismo na China

Violências anti-religiosas não tiram a fé. Na China reforçam a resistência.
Violências anti-religiosas não tiram a fé.
Na China reforçam a resistência e multiplicam o número de fiéis.
A China quer elaborar uma “teologia cristã” compatível com a cultura chinesa e o socialismo, segundo informou ao jornal parisiense “Le Figaro” o dirigente da Administração do Estado para os Assuntos Religiosos, Wang Zuo'an.

Wang Zuo'an declarou ao jornal oficial China Daily que será construída uma “teologia cristã chinesa […] adaptada às condições nacionais”, a qual “integrará a cultura chinesa” e será “compatível com o caminho do socialismo” definido pelo Partido Comunista.

Em certo sentido, a proposta faz rir. Pois os ideólogos comunistas não precisam apertar o cérebro para excogitar esse engenho anticristão.

Ele já existe, em várias versões, e foi elaborado por teólogos, bispos e sacerdotes, vários deles hoje bem instalados em Roma. É a Teologia da Libertação.

Ela preenche ao pé da letra as condições exigidas por Wang Zuo'an e o PC chinês. Inclusive oferece um cardápio de correntes internas com diversos matizes para enganar os fiéis.

terça-feira, 30 de setembro de 2014

“Revolução dos guarda-chuvas” enfrenta repressão

“Revolução dos guarda-chuvas” não quer os “dois ou três” candidatos mais ou menos idênticos oferecidos pelas artimanhas políticas do PC
“Revolução dos guarda-chuvas” não quer os “dois ou três” candidatos
mais ou menos idênticos oferecidos pelas artimanhas políticas do PC

Hong Kong, uma das grandes capitais financeiras do mundo, é proa de violentos enfrentamentos entre a polícia de um lado, e de estudantes e jovens de outro.

O caso se alastra há vários anos, mas adquiriu desta vez uma proporção inigualável. Está sendo chamado de “revolução dos guarda-chuvas”, porque os manifestantes se valem deles para se defenderem dos jatos d’água e dos gases lançados da polícia chinesa.

O bairro Central, centro das instituições financeiras, assemelha-se a um campo fortificado pelos manifestantes, informou o jornal “Libération” de Paris.

Centenas de policiais da tropa de choque tentaram desalojá-los, utilizando escudos, cassetetes e gases. Os jovens responderam “armados” com guarda-chuvas, máscaras caseiras, óculos de mergulho e barricadas improvisadas.

A disputa é por uma questão vital: a cidade terá eleições e o governo de Pequim cerceou drasticamente o seu significado.

O voto será universal, mas os candidatos foram escolhidos através de um alambicado e obscuro processo. Todos os candidatos, uns mais, outros menos, representam a mesma coisa: a vontade do governo socialista de Pequim.

terça-feira, 23 de setembro de 2014

Uma “nação chinesa” no Brasil?

Atuais rotas de emigração chinesa no suleste asiático. E se amanhã vierem para a Amazônia para onde os brasilerios não podem ir?
Atuais rotas de emigração chinesa no suleste asiático.
E se amanhã vierem para a Amazônia
para onde os brasilerios não podem ir?
Enquanto o cientista político James To comenta em livro que 64% dos chineses que conseguiram reunir algum pecúlio desejam ou já planejam abandonar seu país, o “The Wall Street Journal” informa que o governo chinês iniciou campanhas de propaganda para garantir a “lealdade” desses chineses no exterior.

Os principais líderes da revolução comunista chinesa foram intelectuais formados na Europa. Mas hoje os estudantes mais dotados, que estudam no Ocidente, não querem ficar integrados ao superpoder tirânico e procuram se instalar longe dele.

Os imensos problemas que afligem o sistema socialista em matéria de insegurança política, social e delictiva, a poluição que bate os recordes planetários, a intoxicação alimentar, o desastroso e ideologizado sistema escolar são alguns dos argumentos que impulsionam esta espécie de fuga.

Porém, o sistema maoísta pretende tirar proveito dessa migração. Para isso montou um monstro burocrático — a Agência dos Assuntos Chineses no Além-mar do Conselho do Estado — para garantir o “controle remoto” sobre esses autoexilados. A finalidade máxima, diz o jornal americano, é garantir que fiquem fiéis ao Partido Comunista.

O povo chinês é laborioso e hábil no comércio. Na Indonésia, país muçulmano, os imigrantes chineses conquistaram uma posição hegemônica nas pequenas lojas.

quarta-feira, 17 de setembro de 2014

Base espacial chinesa na Patagônia serve para finalidade militar

O secretario de Gestão Pública de Neuquén, Rodolfo Laffitte, apresenta a base
O secretario de Gestão Pública de Neuquén, Rodolfo Laffitte, apresenta a base
A instalação de uma estação espacial chinesa na Patagônia causou vivas apreensões no país vizinho, informou o jornal portenho “La Nación”.

A base começou a ser construída após o acordo firmado entre a presidente Cristina Kirchner e o seu homólogo chinês Xi Jiping, mas não teve sequer o indispensável aval do Congresso.

O temor mais grave é que venha a ser usada com intuitos militares.

A base está sendo construída às pressas na desértica localidade de Bajada del Agrio, na província de Neuquén, aos pés dos Andes, não distante da fronteira com o Chile e a 1.380 km de Buenos Aires.

O secretário geral da Comisión Nacional de Actividades Espaciales (Conae), Félix Menicocci, declarou no Senado que este deve aprovar o acordo e que “não haverá pessoal militar da China no projeto”. Ele também não deu importância ao efeito geopolítico mundial da controvertida estação espacial chinesa na Argentina.

segunda-feira, 15 de setembro de 2014

Samsung suspende produção
por causa de trabalho infantil “escravo”

Fábrica da Samsung na China.

A Samsung, a maior fabricante de smartphones do mundo, fechou temporariamente uma de suas fábricas na China após constatar que um de seus fornecedores, a Dongguan Shinyang Electronics, explorava trabalho infantil, noticiou o site “Quartz”.

A decisão foi tomada depois que a associação China Labor Watch (CLW) denunciou os métodos ilegais da Dongguan para contratar trabalhadores excessivamente jovens e obrigá-los a trabalhar 11 horas por dia, sem lhes pagar sequer as horas extras.

A Samsung deslanchou sua própria investigação na fábrica denunciada e decidiu suspender temporariamente o contrato.

terça-feira, 9 de setembro de 2014

Balé da morte sobre o Mar da China

Jato chinês que hostilizou avião de inteligência americano sobre o Mar da China. Na hora da foto já estava mirado pelo avião dos EUA.
Jato chinês que hostilizou avião de inteligência americano sobre o Mar da China.
Na hora da foto já estava mirado pelo avião dos EUA.
Um jato de guerra chinês quase provoca um grave atrito militar sobre o Mar da China, “aproximando-se de maneira perigosa, não profissional e muito arriscada” de um avião de reconhecimento americano na área internacional próxima à ilha Hainan, noticiou “AsiaNews”.

O Pentágono apresentou um protesto formal perante o Comando Militar de Pequim e qualificou o piloto de “irresponsável”. Pequim negou a ocorrência, mas os EUA publicaram as fotos do atrito.

Numa delas, podem-se até distinguir o piloto e o sistema de disparo do avião americano já mirando o alvo.

A manobra perigosa aconteceu em 19 agosto entre um jato chinês Su-27 e um P-8 Poseidon americano – um Boeing transformado no maior avião de inteligência do mundo. Foi o quarto incidente do gênero desde março de 2014.

terça-feira, 2 de setembro de 2014

Os heróis católicos silenciados da Coreia do Norte

Luis Dufaur
Escritor, jornalista,
conferencista de
política internacional,
sócio do IPCO,
webmaster de
diversos blogs




Em parte alguma do mundo os católicos sofrem uma perseguição tão inclemente como na Coreia do Norte.

Oficialmente eles não existem e deveriam ter sido todos suprimidos. Mas perseveram nas catacumbas.

Eles são perseguidos pelas autoridades marxistas desde o fim da II Guerra Mundial, mas sua Fé sobrevive com o auxílio sobrenatural.

Marta Petrosillo, da organização “Ajuda à Igreja que Sofre”, contou a “Rome Reports” que “em 1945, no início da divisão das duas Coreias, a cidade de Pyongyang era conhecida como a Jerusalém do Extremo Oriente. Nela viviam por volta de 50.000 católicos”.

terça-feira, 26 de agosto de 2014

Smartphones baratos com software espião

Foto do smartphone analisado pela G Data Software
Smartphones de baixo custo, na sua maioria de marcas desconhecidas, estão enviando os dados dos usuários a servidores chineses, afirma a empresa de segurança alemã G Data Software.

Esses smartphones estão sendo oferecidos nos maiores sites de venda online com software de espionagem pré-instalado, segundo a Associated Press.

A G Data Software disse ter encontrado códigos maliciosos no software proprietário do Star N9500 adquirido online.

O achado é apenas o último numa série de ocorrências onde pode se constatar que diversos smartphones procedentes da China já vinham carregados com softwares maliciosos.

Thorsten Urbanski, porta-voz da G Data, contou que sua empresa comprou o celular após ouvir queixas de diversos usuários. A equipe da empresa trabalhou mais de uma semana até identificar com precisão o perigo.

O Star N9500 não diz quem é o fabricante. “Não há identificação no celular, nem na documentação”, explicou Thorsten.

terça-feira, 19 de agosto de 2014

Seminaristas de Pequim
recusam celebrar missa com bispos comunistas

Seminaristas de Pequim
Os seminaristas de Pequim boicotaram a cerimônia de sua colação de grau, para não participarem da Missa concelebrada com bispos comprometidos em sagrações canonicamente ilícitas nos últimos anos, noticiou a agência AsiaNews.

Para essa Missa estava anunciada a participação do bispo excomungado Joseph Ma Yinglin, cuja sagração em 2006 fora feita à revelia da Santa Sé. O regime o impôs então como bispo de Kunming, e o empossou em 2010 como reitor do seminário.

Diante dos veementes protestos dos seminaristas, a direção do Seminário propôs o bispo Giovanni Fang Xingyao, presidente da Associação Patriótica, inventada pelo governo para controlar a Igreja Católica.

Dom Fang é bispo da diocese de Linyi. Sagrado em 1997 com aprovação da Santa Sé, ele foi aos poucos se aproximando do governo socialista e submetendo-se a ele.

terça-feira, 12 de agosto de 2014

Erradicando os “advogados irredutíveis”
que defendem dissidentes

Pu Zhiqiang, advogado defensor dos direitos de dissidentes, foi presso e tudo indica que está condenado antes do julgamento.
Pu Zhiqiang, advogado defensor dos direitos de dissidentes, foi presso
e tudo indica que está condenado antes do julgamento.
A mídia chinesa e seu patrão – o governo comunista – qualificam com o pior título que conseguiram, os advogados que levam o Direito a sério.

Mas esse insulto das esferas oficiais soa como louvor para os amantes da Lei e da ordem. O título é “advogados irredutíveis”, os quais são oficialmente assemelhados a uma execrável forma de dissidência.

Para ganhar esse título é preciso denunciar com combatividade os abusos do poder e a corrupção no mais alto nível do governo – ou do Partido Comunista, segundo escreveu o jornal parisiense “Le Figaro”.

Esses ‘contrarrevolucionários’ fedorentos reclamam por uma justiça transparente e cometem o ‘crime’ de defender dissidentes cristãos, políticos, sociais ou culturais que o Partidão – o Partido Comunista Chinês (PCC) – considera inimigos do povo e quer reduzir ao silencio.

A principal federação de advogados da China – filiada ao governo, como toda associação que quer sobreviver –, alertou seus membros contra todo comportamento “impróprio” na Internet (leia-se: algo que danifique a imagem do governo socialista).

terça-feira, 29 de julho de 2014

Aldeões defendem a Cruz
em luta desigual contra a policia socialista


A bem informada agência AsiaNews noticiou que centenas de cristãos de uma cidade perto de Wenzhou lutaram durante horas contra policiais que queriam arrancar o símbolo da Redenção do alto da igreja.

Alguns fieis foram socados, receberam pontapés e porretadas.

Após horas de confronto, a polícia desistiu. Mas voltou num horário tardio da noite para tomar conta da igreja e tirar a Cruz pela força.

O Partido Comunista da região de Zhejiang lançou a campanha “Três revisões e uma demolição”.

O objetivo seria corrigir os prédios construídos fora do Plano Diretor da cidade.

Mas, de fato, a campanha visa destruir em grande escala as igrejas cristãs que florescem por toda parte na província, apelidada de ‘Jerusalém do Oriente’.

A agência AsiaNews elaborou uma lista com fotos de 64 igrejas destruídas ou com as cruzes arrancadas por essa campanha persecutória que se está estendendo a outras províncias da imensa China.

CLIQUE AQUI para ver a lista das igrejas demolidas.

terça-feira, 22 de julho de 2014

Líder vietnamita repudia socialismo e entra na Igreja Católica

Tô Hai, um “prócer” do comunismo vietnamita e célebre compositor no país, anunciou que abandonava o Partido Comunista num livro que causou sensação: ”Journal d’un lâche” (“Diário de um covarde”), segundo informou o site “Le Salon Beige”.

No dia 28 de maio 2014, ele descreveu em seu blog o que sentia com a sua conversão ao catolicismo com uma frase lacônica, mas muito expressiva:

“Uma imensa alegria no fim de minha vida… “.

No dia anterior, quer dizer 27 de maio, ele havia escrito no mesmo blog:

“Após muitas noites sem dormir, eu por fim encontrei o caminho rumo a uma razão de viver, uma via que eu tinha recusado desde a minha infância: Eu me voltei para Deus!

“Meu coração fica agora em paz com minha fé em Deus. O mal foi expulso, eu viverei livre da angústia até o dia em que fecharei os olhos nesta vida”.

terça-feira, 15 de julho de 2014

Dona abre pacote e encontra carta desesperada
pedindo auxílio da China

A carta com o apelo do trabalhador escravo
A carta com o apelo do trabalhador escravo

A dona de casa Stephanie Wilson, 28, uma australiana que vive em West Harlem, Manhattan, New York, estava procurando um recibo numa sacola que recebeu do shopping eletrônico Saks Fifth Avenue quando encontrou uma carta clamando “AUXÍLIO, AUXÍLIO, AUXÍLIO”.

A mensagem estava escrita com tinta azul e parecia ser o brado desesperado de um homem que teria confeccionado a referida sacola numa fábrica-prisão chinesa a 7.000 milhas de distância.

“Nós somos tratados pessimamente e trabalhamos como escravos 13 horas por dia montando estas sacolas numa fábrica-prisão”, explicava a carta, dissimulada no fundo da sacola.

terça-feira, 8 de julho de 2014

Cardeal Zen exorta chineses a enfrentar heroicamente o comunismo

Após o governo comunista de Pequim ameaçar a cidade de Hong Kong com a privação total de suas liberdades, o Cardeal Joseph Zen Ze-kiun, arcebispo emérito da cidade, reagiu como os católicos desejariam que seus bispos reagissem diante do anticristianismo ovante.

Com efeito, dirigindo-se ao governo comunista, o cardeal disse pela rádio: “Vós podeis me amarrar, me sequestrar ou me decapitar, mas nunca fareis de mim um escravo”.

E exortando o povo de Hong Kong para não ceder diante da ameaça contra suas liberdades, advertiu: “Se vos inclinardes [diante do comunismo de Pequim], se puserdes um joelho em terra, tudo estará perdido”, informou a “Agence d’informations des Missions étrangères”.

Os ambientes anticomunistas de Hong Kong estão engajados há várias semanas na luta para obter a instauração plena e inteira do sufrágio universal em 2017.

O território de Hong Kong está sendo transferido pela Grã-Bretanha à China continental. Mas se o sufrágio universal estivesse em vigor, as autoridades de Hong Kong seriam anticomunistas e Pequim teria dificuldades sérias para implantar ali o comunismo.

A Igreja Católica não se engaja em questões meramente políticas, mas intervém quando a moral ou os bons costumes estão ameaçados, pondo em risco a salvação das almas.

terça-feira, 1 de julho de 2014

Hong Kong: imensa multidão lembrou massacre de Tiananmen

No Vitoria Park, 14 de junho de 2014, lembrando
a repressão sangrenta comunista da Praça da Paz Celestial

Dezenas de milhares de pessoas se congregaram em Hong Kong para lembrar a sanguinária repressão da Primavera de Pequim há 25 anos, noticiou a revista “Le Point” de Paris.

“Justiça para o dia 4 de junho!” cantou a multidão numa vigília de velas acessas, agitando faixas, enquanto eram lidos os nomes dos mortos na Praça da Paz Celestial, ou Tiananmen, esmagados brutalmente pelo Exército Vermelho.

Tiananmen significou uma tentativa de reproduzir em território chinês, o movimento liberalizante que derrubou a URSS. Mas o comunismo se impôs com a força dos tanques e das metralhadoras.

“Esse acontecimento (Tiananmen) deve ser instilado no coração de todos e cada um, nós não podemos deixar que o tempo dilua a sua lembrança”, comentou Anna Lau, estudante de 19 anos, que não tinha nascido no tempo da revolta que abalou o comunismo chinês.

A presença da juventude reforçou a ideia de que o movimento anticomunista tem muito futuro pela frente.

terça-feira, 24 de junho de 2014

EUA indicia oficiais do Exército chinês fautores de ciberespionagem

Departamento de Justiça dos EUA pede prisão de cinco oficiais chineses indiciados por cyberespionagem
Departamento de Justiça dos EUA pede prisão de cinco oficiais chineses indiciados por cyberespionagem
Pela primeira vez, os EUA vão processar agentes estrangeiros engajados na ciberespionagem. A Justiça americana indiciou cinco oficiais do exército chinês por piratear os sistemas informáticos de seis empresas americanas que trabalham em setores estratégicos como o nuclear, metais e energia solar, informou “Le Figaro”.

Esses oficiais chineses são “membros da Unidade 61398 do Terceiro Departamento do Exército de Libertação do Povo” e poderiam ganhar penas de até 15 anos se forem presos fora da China.

A acusação da Justiça emprega termos como “furto do século XXI”, “ciber-ameaças”, etc. “A gama de segredos e informações sensíveis roubada é importante e exige uma resposta agressiva”, declarou o ministro da Justiça americano, Eric Holder.

terça-feira, 17 de junho de 2014

Pequim treme e
cria lista negra de 'religiões perigosas'

Policiais fazem treino ostensivo na estação de trem de Yiwu, Zhejiang
Policiais fazem treino ostensivo na estação de trem de Yiwu, Zhejiang
Pequim já não esconde seu ímpeto persecutório, constatou “Églises d’Asie” (EDA), agência de informação das Missions Étrangères de Paris.

Em 6 de maio (2014), a Academia Chinesa de Ciências Sociais publicou um “Livro Azul” com os “desafios mais sérios para o país”, que representam “ameaças” para a “segurança nacional”.

As quatro “ameaças” mais perigosas seriam:
1) a entrada no país dos ideais democráticos;
2) a hegemonia cultural ocidental;
3) a disseminação da informação pela Internet; e
4) as infiltrações religiosas.

A ameaça das “infiltrações religiosas provenientes do exterior” é um velho chavão usado contra a Igreja Católica, cuja cabeça está em Roma.

terça-feira, 10 de junho de 2014

França bate recorde de apreensão de
medicamentos falsos vindos da China

Medicamentos falsos apreendidos numa ação anterior em 2009
Medicamentos falsos apreendidos numa ação anterior
A alfândega da França bateu um recorde de apreensão de medicamentos contrafacionados, oriundos da China, evidentemente.

Nada menos que 2,4 milhões de caixas de medicamentos falsos de todos os tipos, desde simples aspirinas, excitantes sexuais até antidiarréticos foram apreendidas no dia 27 de fevereiro no porto de Le Havre, segundo “Le Figaro” de Paris.

Para Stéphane Caritté, da Direção Nacional de Informações e Inquéritos Alfandegários, este órgão começa a desconfiar de certas megaoperações analisando a mercadoria e o destino final declarado.

“Esta mercadoria estava registrada como chá verde e devia ser encaminhada para a Bélgica, segundo tudo indica através de um porto da Europa do Norte”.

terça-feira, 3 de junho de 2014

A maior greve da história da China


Seu tênis é Adidas, Nike, Converse, Puma, Asics ou New Balance? Pagou mais, ou menos por ele? Pouco importa, pois todos saem do imenso conglomerado Yue Yuen Industrial Holdings de Dongguan, na China. A super-fábrica faz toda espécie de tênis para as grandes marcas internacionais.

O capital é taiwanês, mas os operários produzem no regime de escravidão que impera na indústria chinesa, com salários miseráveis e condições de trabalho inaceitáveis em outros países.

Esses tênis estão manchados com o suor, as lágrimas e o sangue de um exército de operários que trabalham gemendo sob a chibata comunista para ganhar ordenados de miséria: menos de 500 reais por mês (e, ainda assim, um ordenado muito acima da média na China).

terça-feira, 27 de maio de 2014

Via Sacra católica demolida e emparedada na China

Via Sacra demolida em Longgang
Via Sacra demolida em Longgang
Uma Via Sacra católica, construída a céu aberto sobre a colina de Longgang com imagens de grande porte, foi arrasada pelas autoridades comunistas de Wenzhou. O local era objeto de piedosas romarias.

As grandes estátuas de Jesus, de Nossa Senhora e de São José, que pesavam cada uma perto de cinco toneladas, foram vedadas com tijolos em volta, para não poderem ser vistas nem cultuadas pelo povo. Outras imagens foram removidas com maquinarias e toda a decoração das cenas da Paixão foi sumariamente demolida, informou a agência UCA News.

Por volta de 100 católicos compareceram às pressas e entoaram hinos de reparação, sem poderem conter as lágrimas.

terça-feira, 20 de maio de 2014

Frota chinesa de tapeação
pode levar a melhor sobre a indecisão de Obama

Joia da marinha chinesa, o Liaoning já foi sucata soviética e hotel flutuante
Acompanhado por um conjunto de especialistas do Pentágono, o secretário americano de Defesa, Chuck Hagel, foi em visita oficial à China para conhecer a Marinha de guerra desse país, noticiou “Le Figaro” de Paris.

Obviamente, a China exibiu o que tinha de melhor. Porém, os especialistas americanos ficaram admirados pela vetustez do único porta-aviões chinês – um enferrujado e abandonado navio de guerra soviético, reformado e modernizado por ordem de Pequim.

Eles também externaram a inexperiência de combate da marinha comunista.

Porém, a China não cessa de provocar seus vizinhos no mar e propagandeia que está em condições de enfrentar de igual a igual os americanos.

terça-feira, 13 de maio de 2014

Cristãos da China poderão ser em breve
os mais numerosos do mundo

Afluência de fiéis enche teemplos cristãos e tira o sono do socialismo
Afluência de fiéis enche templos cristãos e tira o sono do socialismo
A China está a caminho de ser o país com maior número de cristãos do mundo, para desespero dos líderes ateus do Partido Comunista.

Um pouco por toda parte se erguem novos templos coroados por uma Cruz, indicadores dessa conversão religiosa.

Em meio às incessantes convulsões revolucionárias em mais de meio século de ditadura comunista, os chineses estão encontrando no Evangelho e na Cruz de Cristo o cais de paz e segurança espiritual de que sentiam falta. E este fenômeno interior é incontrolável pela polícia e pelas organizações do Partido ditatorial.

terça-feira, 6 de maio de 2014

Jesus é mais procurado nas redes sociais chinesas
que Mao ou o PC

Quadro comparativo das procuras em 3 de abril 2014. CLIQUE PARA AMPLIAR
Na rede social Weibo, o “Twitter chinês”, o nome de Jesus e de Deus é mais procurado que o do presidente Xi Jinping, secretário-geral do Partido Comunista chinês, o de Mao Tsé-Tung e até o do próprio Partido Comunista que domina o país.

Bethany Allen, do Foreign Policy Magazine, saiu em busca dos nomes mais procurados na maior rede social chinesa no dia 3 de abril.

A procura da palavra “Bíblia” resultou em mais de 17 milhões de resultados. Porém, a “bíblia do comunismo chinês”, quer dizer, o “Livro Vermelho” de Mão Tsé-Tung, rendeu menos de 60 mil.

terça-feira, 29 de abril de 2014

O “cometa cristão”
está ficando grande e incontrolável na China

Escudo humano para defender igreja em Sanjiang
Escudo humano para defender igreja em Sanjiang, antes de ser dinamitado.

Autoridades do Partido Comunista da província oriental de Zhejiang negaram que estivesse em curso uma “campanha de demolição” de igrejas no país.

Porém, simultaneamente, testemunhas denunciaram que cerca de doze já haviam sido demolidas ou perdido suas cruzes

Em outras igrejas, os responsáveis receberam intimação para tornarem “menos conspícua” a presença dos templos, por exemplo desligando as luzes durante a noite.

terça-feira, 22 de abril de 2014

Diocese de Shangai decapitada de seu bispo há 60 anos

Pe. Raymond J. de Souza
O Pe. Raymond J. de Souza publicou no jornal canadense “The National Post” uma visão de conjunto sobre o vazio criado pela perseguição comunista na diocese de Xangai.

A situação se põe assim: Dom José Fan Zhong-Liang SJ, último bispo legítimo de Xangai, morreu há pouco em prisão domiciliar, aos 97 anos de idade, após passar mais de 50 anos num campo de concentração (laogai em chinês). O governo proibiu que ele fosse enterrado segundo o ritual próprio a um bispo.

Dom José viveu como morreu: na paz de Deus, numa recusa absoluta de qualquer forma de submissão à chefatura comunista de Pequim, e em estrita fidelidade ao Papa.

Com esta heroica passagem à eternidade, a diocese de Xangai – talvez a mais importante da China – completa 60 anos sem bispo em funções.

Essa tragédia teve início em 1955, quando o regime maoísta, temendo a livre prática do catolicismo – temida em geral por todos os tiranos de ontem e de hoje – prendeu o então bispo da cidade, D. Inácio Kung Pin-Mei, e por volta de 200 sacerdotes e líderes católicos.

terça-feira, 15 de abril de 2014

Em 2013 a China executou mais pessoas que o resto do mundo

A China aplica a pena de morte em condições aterradoras, por vezes com o objetivo de conseguir órgãos frescos para transplante, ou para eliminar dissidentes.

A insuspeita Amnesty International publicou seu último relatório anual sobre as execuções no mundo. Nele, a China atingiu mais uma vez o sinistro recorde de exceder – e de longe – todo o resto dos países somados no método de extinção “legal” de vidas, informou “Business Insider”.

A máquina judiciária socialista sentenciou à morte milhares de cidadãos em 2013, enquanto no resto do mundo só foi pedida a pena máxima para 778 indiciados – constata o relatório.

Porém, as estatísticas da China ficam complicadas pelo fato de Pequim considerar que as execuções mortais são segredo de Estado.

Hong Lei, porta-voz do Ministério das Relações Exteriores, defendeu que a pena de morte “se baseia principalmente na cultura tradicional e em condições nacionais específicas”.

terça-feira, 8 de abril de 2014

Passeata gigante contra o comercio com a China em Taiwan

O girassol foi o símbolo da manifestação contra o imperialismo chinês.

Meio milhão de pessoas, segundo os organizadores, saíram às ruas de Taipé, capital de Taiwan, contra um tratado comercial com a China que ameaçaria a independência do país.

Eles portavam um girassol como sinal de identificação, que logo virou o símbolo do protesto contra o imperialismo chinês.

Os manifestantes também pediram a renúncia de Ma Ying-jeou, presidente de Taiwan, acusando-o de excessiva simpatia e falta de vigor em relação ao vizinho comunista, noticiou “Business Insider”.

A passeata foi uma das maiores das últimas décadas, num país em que elas são frequentes contra o comunismo.

terça-feira, 1 de abril de 2014

Justiça socialista: “culpados” a priori quase 100% dos indiciados

Culpadou ou não, sua sorte foi decidia com um simples indiciamento

Em 2013, 99,93% das pessoas denunciadas pelo Partido Comunista Chinês ou pela polícia do regime foram declaradas culpadas pelos tribunais de Justiça, de acordo com o relatório anual da Corte Suprema – o STF da China – entregue ao público.

Em 1,16 milhões de sentenças, apenas 825, ou 0,071%, dos indiciados foram inocentados.

Em 954.000 causas penais, os tribunais condenaram 1.158 milhões de chineses, acrescentou o presidente da Corte Suprema, Zhou Qiang, apresentando o relatório diante da Assembleia Nacional Popular (ANP), do Legislativo do regime socialista.

“A Justiça é cega”, diz o velho e sábio adágio do Direito.

Na China também, só que com uma pequena, mas imensa diferença: o socialismo indicia e a Justiça condena sem olhar mais nada.

terça-feira, 25 de março de 2014

Ditador da Coreia do Norte reeleito com mais votos que Fidel Castro: 100%

Nas eleições da Coreia do Norte: ou sim ou "inexiste"
Nas eleições da Coreia do Norte: ou sim ou "inexiste"
Em eleições totalmente controladas, a Coreia do Norte reelegeu o ditador supremo, Kim Jong-um, com 100% dos votos. A abstenção atingiu 0%.

Em cada uma das 700 circunscrições havia apenas um candidato – apontado pelo partido único –, sem necessidade de urnas eletrônicas.

Os cidadãos inscritos, equivalentes a todos os que têm direito a existir sob a ditadura, podiam optar entre o 'sim' e o 'não'.

O eleitor que pretendesse escolher o 'não', deveria se dirigir a uma cabine especial.

Mas segundo Stefanie Dekker, correspondente da Al Jazeera, isso é “algo que poucos estão dispostos a arriscar”. Se alguém arriscou, não sobreviveu para contar ou seu voto não foi computado.

O voto é facultativo, como em quase todas as democracias, mas se algum eleitor não comparecia aos locais de votação, era tido como prófugo e seus parentes corriam o sério risco de serem enviados para um campo de concentração.

Obviamente, no distrito eleitoral do ditador Kim-Jong-un, os votos sem exceção foram para o líder socialista.

Ele acumula toda espécie de cargos e títulos, tão díspares como deputado, comandante supremo das Forças Armadas ou presidente da despótica Comissão Nacional de Defesa.

Para a agência oficial, houve “apoio absoluto do povo e sua profunda confiança no supremo líder Kim Jong-un”.