O Test behind the Great Firewall of China, confirmou mais uma vez que nosso blog ESTÁ BLOQUEADO NA CHINA. A máquina repressiva impede o acesso em Pequim (confira); em Shangai (confira); e agora em Guangzhou (confira). Hong Kong é a exceção (confira). Enquanto Pequim não cobrar medidas coercitivas dos seus correligionários brasileiros ou da Teologia da Libertação, este blog continuará na linha católica anti-comunista, pelo bem do Brasil. MAIS

sábado, 18 de agosto de 2007

Brinquedos tóxicos ou perigosos feitos na China forçam maior recall da história


Mattel, a maior fabricante de brinquedos do mundo mandou recolher mais de 20 milhões de brinquedos produzidos na China com materiais contaminantes ou perigosos para as crianças. Foi o maior recall da história. O anúncio causou calafrios no mundo e corridas às lojas para devolução ou troca dos produtos.
Sean McGowan, diretor executivo de Wedbush Morgan Securities, julgou que se se analisasse os produtos chineses à venda em lojas como Wal-Mart, encontrar-se-iam sérios problemas análogos. Eles são fabricados a preços predatórios e sem as exigências mínimas requeridas no mundo livre. Além do lucro econômico, a China abala as economias que seu imperialismo marxista quer abater.

quarta-feira, 15 de agosto de 2007

Poluição mata 750.000 chineses por ano, mas Banco Mundial apaga as cifras


A poluição mata 750.000 pessoa por ano na China, segundo relatório do Banco Mundial intitulado “The Cost of Pollution in China” (O custo da poluição na China). Mas por pressão do governo comunista de Pequim, os dados essenciais foram eliminados do relatório. Foram também suprimidos os mapas da distribuição destas mortes.

China monta esquema massivo de controle informático dos cidadãos


A China está montando o mais colossal sistema de espionagem do povo da terra, informou “The New York Times”. Pelo menos 20.000 câmaras de vigilância policial serão instaladas na cidade de Shenzen de 12,4 milhões de habitantes. Elas são guiadas por sofisticados sistemas de computador que reconhecem os rostos das pessoas que o regime vigia. Os computadores associarão as imagens com os dados trabalhistas, educacionais, religiosos, étnicos, policiais, de saúde, controle da natalidade e números telefônicos dos “suspeitos”. Se o sistema fosse montado por um governo ocidental, a mídia fazia estardalhaço. Mas, se é a China, olha e se desinteressa.